My appreciation

Instantaneamente tudo se inverteu, seus sentimentos, sua forma de pensar em relação a certas coisas, sua forma de agir, sua vida, não soube explicar porque aconteceu, mas ficou agradecida por ter ocorrido, estava realmente muito grata por terem deixado as coisas mais claras, mais nítidas e com cores mais vibrantes, uma alegria em respirar, sentir, viver.

Tudo era agradável, Marcela acordava já com a ideia fixa de ‘’bom dia’’ e executava o ‘’bom’’ com maestria, ela era daquelas meninas positivas, com boa energia, sempre via coisas boas, podem achá-la sonhadora demais, pouco realista, mas não ligava, se isso a fazia sorrir então tudo estava certo, porém ela confessa que essa inversão que ocorreu teve um porque, uma razão não descoberta, mas que estava ali, escondida, ainda não revelada. Sabia que isso era para ter ocorrido, pois sua positividade estava ficando esgotada, estava se sentindo mal, como se tudo o que ela mantinha e seguia a deixasse na mão, não aguentava mais, colocava em prática o ‘’bom’’ de seu ‘’bom dia’’ mas não funcionava mais, e por isso ela agradece a razão ter aparecido e ter acendido novamente sua positividade, voltou a ser aquela menina, pensou e acreditou, pois o que é nosso ninguém toca, ninguém tira, podem conseguir retirar parcela, mas nunca tudo, sua força não deixará, seus princípios são maiores e muito mais fortes.

– Giovanna Melo

Unknown Dimension

A escrita para mim serve como um refúgio, um lugar onde apenas eu posso interferir, e desfrutar, um lugar onde tenho calma, paz, onde me encontro com o meu interior e assim o faço falar, na escrita é ele quem fala por mim, ele se expressa da forma que bem quiser, da forma que deseja, lá só há espaço para nós dois, porém como nós dois habitamos um único corpo, somos uma única matéria, só há espaço para um ser.

A escrita realmente me acalma, com ela eu desabafo de inúmeras formas sobre inúmeros acontecimentos da minha vida e até do mundo, quando algo me aflige eu escrevo, quando algo me assusta ou até me entristece eu começo a escrever e ao depositar as letras no papel ou apertando as teclas do teclado é como se todo aquele sentimento que estava me afligindo, que estava me deixando mal, sumisse, como se eles passassem para outro meio, uma outra dimensão, desconhecida até hoje, e isso me deixa bem, eu fico bem após escrever um texto cheio de sentimentos já não mais sentidos, os textos podem ser pequenos ou grandes mas expressam muitas coisas para mim, eles significam muito, e ao relê-los eu vou me recordando de cada obstáculo ultrapassado, de tudo o que já vivi.

Se eu pudesse dar-lhe um bom conselho eu diria para escrever, fará muito bem para você, mesmo que não consiga se expressar tão bem com as palavras, escreva, ”a prática leva à perfeição” essa é a frase mais verdadeira, com a escrita contínua você irá sim se expressar melhor com as palavras, mas isto não importa, só de você transportar seus sentimentos para a outra dimensão ainda não conhecida já está perfeito, no final você estará melhor, você verá o que irá sentir ao colocar o ponto final, é como se você não tivesse mais nenhuma preocupação, como se o mundo parasse e se virasse apenas para você.

Porém dia desses me deparei com algo que nunca havia me acontecido, abri o bloco de notas (onde eu geralmente escrevo meus desabafos) e as palavras simplesmente não saiam, elas não se concretizavam e ficavam apenas em pensamento, bastava eu depositar minhas mãos ao teclado e as palavras sumiam, eu não conseguia mais transportar meus sentimentos, eles ficaram presos e assim continuei vivendo, chegava em casa, abria novamente o bloco de notas e mais uma vez as palavras não saiam, e assim os dias foram se passando e hoje milhares de sentimentos estão dentro de mim, eles estão prestes a transbordar, milhares de coisas acumuladas, coisas que não gostaria que estivessem aqui dentro, o que fazer para conseguir desabafar novamente? Não sei, já tentei escrever por outros meios, já tentei conversar com alguém e transportar os sentimentos pela fala, porém eles não se foram como na escrita, hoje não sei mais o que fazer, até que surgiu a ideia de eu falar sobre este meu problema, quem sabe assim eu não me libertava, quem sabe assim no final eu não conseguiria escrever sobre sentimentos novamente, bom, só iremos descobrir com o tempo e enquanto que eu não consigo fazer isto eu vou vivendo com milhares de coisas dentro de mim, esperando a hora certa de manda-los embora, para bem longe, espero que funcione…

– Giovanna Melo