Essence X Existence

 Como se não tivessem sido programados, não funcionavam, ou funcionavam mas a preguiça de pensar e/ou sentir era tanta que preferiam deixar assim, vazio. Corpo e alma, existência e essência eram coisas separadas agora, na rua músculos se movimentando e a mente fica cada vez mais vazia, nada mais era intenso, nada mais era espontâneo, nada mais era criativo, novo, inteligente. E os que restaram? Os que ainda têm sua essência aliado com sua existência, vivem por aqui? Até fácil identifica-los, porém estão tão em falta que ao achar alguém assim, guarde-o e troque pensamentos, experiências, filosofias, expanda seu conhecimento e não se separe nunca de sua mente, sua alma, seja intenso e espontâneo, faça o que acha ser certo, porém tenha senso crítico para determinar o certo e o errado, questione, descubra, fale, escreva pensamentos, mas repito, não se torne mais um e sim o número um, você tem que se destacar, acha legal viver aquela vidinha comum, sempre igual, não desejando nada diferente e apenas vivendo como mais uma pessoa no mundo que acorda, vai ao trabalho/faculdade, tem o celular e roupas da moda, sai todo final de semana para os mesmo lugares, com as mesmas pessoas, uma paquera aqui, outra ali, chega segunda-feira e o ciclo continua. Chato, exaustivo, irritante, não pensam, querem apenas saber quando é o lançamento daquele novo celular para comprar e ser o primeiro da sua turma a ter, pior que ainda se orgulham disso, como se fosse algo para se orgulhar, pessoas movidas a status, cansei delas, e sim isso é um desabafo, chego até a pensar se no final sou eu quem tenho algo errado por querer mais do que isso, querer mais a essência das pessoas, querer seu interior, novos pensamentos, novos sentimentos, não ser apenas mais um.

– Giovanna Melo